Entrevista com João Campany, o protagonista de ‘Brasil imperial’ exibida na Amazon Prime

João Campany como Dom Pedro I do Brasil em ‘Brasil Imperial’. © Rodrigo Ricordi / Divulgação Fundação Cesgranrio

Herói para uns e irresponsável para outros, o fato é que Dom Pedro I do Brasil e IV de Portugal (1798-1834) foi uma figura de suma importância para a consolidação do Brasil como uma nação independente de Portugal no início do século XIX. Sua trajetória foi representada na série ‘Brasil imperial’, cujo o protagonista entrevistamos hoje.

Quem foi Dom Pedro I do Brasil e IV de Portugal?

Nascido em 1798 em Lisboa, Portugal, Dom Pedro de Bragança foi filho de Dom João VI de Portugal (1767-1826) com Dona Carlota Joaquina de Espanha (1775-1830). Com apenas 9 anos migrou para o Rio de Janeiro, Brasil, na companhia da corte portuguesa, que atravessou o Oceano Atlântico, em 1807, fugindo da invasão francesa.

No Novo Mundo deu prosseguimento a sua educação, mas como era dono de um caráter explosivo e, em certa medida, autoritário não se concentrava nas lições, preferindo uma vida ao ar livre e exercícios físicos na companhia de amigos. Em 1821 as responsabilidades bateram a sua porta. Com o retorno da Família Real Portuguesa a Europa ficou no posto de príncipe-regente do Brasil ao lado da esposa, Dona Leopoldina de Áustria (1797-1826). Em dentro de pouco tempo proclamou a Independência do Brasil.

No entanto, seu reinado não foi fácil. Protagonista de diversas crises políticas carregava sob os ombros a responsabilidade de formar uma nação que tinha tudo para dar errado. Seu caso amoro amoroso com Domitila de Castro Canto e Melo (1797-1867), a Marquesa de Santos, e a perda de sua fiel companheira abalaram a sua imagem como monarca.

Após sua abdicação do trono brasileiro, em 7 de abril de 1831, rumou para a sua terra natal, onde travou uma guerra civil com o irmão, Dom Miguel I de Portugal (1801-1866) saindo vitorioso apesar de sua desvantagem numérica. Em Portugal proclamou uma nova Constituição sendo responsável por introduzir o país no liberalismo.

Finalmente morreu, aos 36 anos de idade, vítima de tuberculose contraída nas trincheiras da guerra. Apesar de sua curta vida marcou a história da Europa e da América Latina. Sua memória é até os dias de hoje, motivo de discussões alcooladas e produções artísticas.

A série ‘Brasil Imperial’

E nesse último trimestre de 2020 Dom Pedro I volta a ser protagonista de uma produção audiovisual. Estamos falando de ‘Brasil Imperial’ minissérie produzida pela Fundação Cesgranrio e exibida na Amazon Prime Video a partir de 10 de novembro deste ano.

Com dez capítulos, com duração de 40 minutos, ‘Brasil Imperial’ será exibida no Brasil, em Portugal e na África com distribuição da ELO Company. Alexandre Machafer, diretor da produção, afirmou que tentou fugir dos esteriótipos. Isso também se aplica a D. Pedro, interpretado pelo ator João Campany.

Confira a entrevista exclusiva com o protagonista João Campany:

Rainhas na História: João Campany, primeiramente, muitíssimo obrigado pela sua disponibilidade em responder algumas perguntas para os nossos leitores. Vamos a primeira pergunta: Como você se preparou para viver Dom Pedro I do Brasil e IV de Portugal em Brasil Imperial?

João Campany: Eu comecei na literatura histórica. Li o livro do José Roberto Torero (“O Chalaça”), a biografia que a Isabel Lustosa escreveu sobre Pedro e os livros do Laurentino (“1808”e “1822”). Fui pesquisar onde os historiadores abriam um parênteses do Imperador, do Chefe de Estado e deixavam o sujeito aparecer. Queria saber das paixões, das suas frustrações, e encontrei respostas interessantíssimas. Ele viveu o conflito dos monarcas de não poder casar com quem ama, por exemplo. Os casamentos eram contratos arranjados. Ele estava amando a bailarina francesa Noemi Thierry, quando seu casamento com Leopoldina (da Áustria) foi arranjado, no Congresso de Viena.

Rainhas na História: Como surgiu o convite para atuar na minissérie Brasil Imperial?

João Campany: O convite foi feito pelo Carlos Alberto Serpa, presidente da Fundação Cesgranrio, que foi a organização responsável pela produção da série. A série é um projeto de vida do Professor Serpa, já há muito tempo ele vem querendo realizada-la. E ter recebido esse convite do Serpa foi uma lisonja em relação à minha carreira: eu sabia que ele estava confiando no meu trabalho de ator para dar vida ao Imperador Dom Pedro I, que é uma figura complexa de ser representada. Pedro tem muitas camadas psicológicas.

Rainhas na História: Você sentiu alguma pressão ou temor ao interpretar uma personagem tão importante, historicamente falando, para o Brasil?

João Campany: Eu me senti desafiado. Sempre tive na minha memória, uma imagem temperamental do Dom Pedro. Então eu sabia que eu teria que trabalhar as minhas explosões e cair dentro de um estudo psicológico intenso pro Imperador.

Rainhas na História: Quais são as suas expectativas em relação a minissérie Brasil Imperial?

João Campany: A minha expectativa maior é que “Brasil Imperial” seja uma série indicada em escolas. Que professores de História vejam nela uma possibilidade de complementar o que é dito sobre o Primeiro Império nas salas de aula.

Rainhas na História: Como você avalia a personalidade de Dom Pedro I do Brasil e IV de Portugal? A maioria dos relatos históricos afirmam que ele foi um homem de personalidade forte.

João Campany: Eu avalio como um cara que tinha uma pré-disposição forte para a loucura (por conta de sua avó Maria A Louca e sua mãe, Carlota Joaquina) e que sempre foi criado como príncipe. Ou seja, associe uma personalidade explosiva a um “você pode fazer tudo”.

Rainhas na História: Tendo em vista o conturbado cenário político e a escandalosa vida amorosa do monarca como você avalia a sua trajetória. Você acredita que ele enfrentou muitos percalços em sua vida?

João Campany: Eu acho que ele foi muito inconsequente e irresponsável em muitas vezes como Chefe de Estado. Ele usava o dinheiro público, por exemplo, para comprar presentes para sua amante (construiu um Solar para ela sustentava os luxos com os quais ele a acostumou. Como homem, eu sinto nele um filho que não era o predileto da mãe e passa a vida inteira traindo as mulheres como consequência. Esses dois Pedros, juntos, pode ter certeza que garante uma vida de muitos percalços (risos).

Rainhas na História: João Campany, muitíssimo obrigado pelo seu carinho e paciência em responder nossas perguntas. Por último, mas não menos importante nos fale um pouco de você, de sua carreira como ator, de seus futuros projetos. Você também é cantor e compositor, não é? Se quiser, deixe suas redes sociais e algum meio de contato.

João Campany: Eu que agradeço. É muito necessário contarmos a nossa própria História. Somos uma nação que assiste mais filmes sobre Adraham Lincoln do que sobre nossos próprios heróis.

Eu gosto muito de atuar, e é meu foco principal. A música tem um lugar especial na minha vida. Mas eu sou mais feliz compondo e gravando no meu home studio. Produzo e lanço,  todo mês, uma música nas plataformas. Tem sido assim, por enquanto.

Confira o trailer da primeira temporada da série:

Publicado por Fernanda da Silva Flores

Fernanda da Silva Flores é graduada em História pela UNOPAR (2018) e possuí pós-graduação em Gestão e Organização da Escola com Ênfase em Supervisão Escolar (2019) também pela UNOPAR. Fundou o site Rainhas na História em setembro de 2016. Reside em Itajaí, Santa Catarina, Brasil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: